Trazendo a fluoroscopia para o leito da UTI neonatal

Reading Time: 9 minutes read

Hospital infantil adota abordagem pioneira de aquisição de imagens de fluoroscopia no leito em unidade de terapia intensiva neonatal.

Por Mark C. Liszewski, médico do Hospital Infantil de Montefiore.

A radiografia e a ultrassonografia portáteis são os pilares da avaliação diagnóstica inicial em pacientes em estado grave. No entanto, existem muitas situações em que esses exames não conseguem fornecer as informações de que os médicos precisam. Opções avançadas de aquisição de imagens, como fluoroscopia, tomografia computadorizada (CT), ressonância magnética (MRI) e medicina nuclear (MN), bem como procedimentos intervencionistas, muitas vezes não podem ser realizadas no leito.

A CHAM e a Carestream Health estão testando uma tecnologia inovadora para permitir que os exames fluoroscópicos sejam realizados com um sistema DRX-Revolution modificado na NICU.

Em 2017, o Hospital Infantil de Montefiore (Children’s Hospital at Montefiore, CHAM) e o departamento de Radiologia de Montefiore firmaram uma parceria com a Carestream Health para testar, de forma pioneira, uma tecnologia inovadora a fim de permitir que exames de fluoroscopia sejam realizados com um sistema DRX-Revolution modificado em nossa unidade de terapia intensiva neonatal. A unidade de fluoroscopia portátil é capaz de fornecer uma qualidade de imagem comparável, em níveis de dose equivalentes, a um sistema de fluoroscopia instalado de sala para neonatos com riscos mínimos para a equipe e para outros pacientes na unidade de terapia intensiva (UTI) neonatal.Continue lendo para obter os detalhes desse estudo piloto inovador que explora novas possibilidades avançadas de aquisição de imagens no leito.

A aquisição de imagens no leito reduz os riscos relacionados ao transporte do paciente

Há uma infinidade de questões associadas ao transporte de pacientes em estado grave. A principal delas é o risco para o paciente. As complicações encontradas durante o transporte podem incluir comprometimento respiratório, instabilidade hemodinâmica, distúrbios do equilíbrio ácido-básico e possibilidade de infecções.

Para fluoroscopias, o transporte do paciente para a sala de fluoroscopia e de volta ao quarto pode exigir um tempo prolongado longe da unidade hospitalar – aumentando, assim, a possibilidade de eventos adversos – para realizar um exame que pode levar apenas 10 minutos ou menos para ser concluído. A opção de realizar esses procedimentos de forma eficaz com o paciente no leito pode reduzir o risco de eventos adversos e permitir a obtenção de resultados melhores. Um sistema radiográfico portátil com capacidade de aquisição de imagens fluoroscópicas na UTI neonatal pode beneficiar neonatos em estado grave ao eliminar a necessidade de transportá-los para uma sala de fluoroscopia.

A ativação de imagens na UTIN reduz a pressão sobre a equipe e ajuda no controle de infecções.

O transporte de pacientes em estado grave exige uma equipe considerável. O transporte de um recém-nascido que está na UTI neonatal geralmente exige uma equipe dedicada para o deslocamento do paciente composta por médicos, enfermeiros e terapeutas respiratórios da UTI neonatal. A possibilidade de realizar a aquisição de imagens no leito reduz a pressão sobre a equipe da UTI neonatal. Essa abordagem também pode aumentar a satisfação dos pacientes e dos seus familiares, que talvez prefiram permanecer em seus quartos no hospital.

A possibilidade de aquisição de imagens fluoroscópicas com uma unidade móvel também disponibiliza a sala de fluoroscopia para procedimentos mais complexos. Isso ajuda a administrar o volume da aquisição de imagens e a aumentar a receita da instituição.

E, por fim, o surgimento da COVID-19 evidenciou um benefício adicional da aquisição de imagens no leito: o controle de infecções. Manter o paciente em seu quarto ajuda a limitar sua exposição potencial a infecções e diminui as oportunidades de o paciente infectar outras pessoas – incluindo os membros da equipe – durante o transporte. A aquisição de imagens no leito de pacientes infectados por COVID também reduz o número de vezes que uma instituição de saúde precisa limpar e desinfetar uma sala de fluoroscopia.

Essas são apenas algumas das razões pelas quais muitos de nós no setor da saúde, inclusive a Carestream Health, visamos a ampliar as possibilidades de aquisição de imagens de pacientes no leito.

Estudo: avaliação do sistema de fluoroscopia portátil para exames no leito de UTI neonatal

Firmamos uma parceria com a Carestream Health para avaliar se um sistema portátil de fluoroscopia para aquisição de imagens no leito em UTI neonatal pode fornecer uma qualidade de imagem comparável, com um nível de dose semelhante, a um sistema de fluoroscopia fixo padrão. Especificamente, queríamos avaliar o fluxo de trabalho, a dose administrada ao paciente e a radiação dispersa associada à realização de séries gastrointestinais superiores (UGI) e cistouretrografias miccionais (VCUG) na UTI neonatal utilizando fluoroscopia portátil para aquisição de imagens no leito.

O protótipo (não disponível para venda) do nosso estudo foi uma unidade de radiografia móvel modificada da Carestream, o sistema DRX-Revolution. A Carestream habilitou o sistema a capturar sequências de imagens fluoroscópicas e fornecer processamento e exibição de imagens em tempo real. O protótipo era composto pelo seguinte:

  • Unidade de radiografia móvel modificada da Carestream
  • Detector de raios X digital portátil com alta taxa de quadros
  • Interface do usuário gráfica (GUI) integrada para controlar a duração da exposição aos raios X, incluindo limites de dose e corte
  • Tela de exibição com controles de fluoroscopia em pedais

O protótipo do sistema de fluoroscopia portátil e a tela foram posicionados ao lado da incubadora. As imagens foram adquiridas inicialmente com o protótipo do sistema de fluoroscopia portátil e a imagem final foi obtida com a unidade portátil padrão, permitindo que os diagnósticos fossem determinados em um sistema aprovado pela FDA.

imagem de uma criança colorindo com um texto que diz que saúde é delicada
Saiba mais sobre as soluções da Carestream para imagens pediátricas.

Resultados

Na fase A do protocolo aprovado pelo comitê de ética da instituição, 20 pacientes com menos de três anos de idade, para os quais estavam programadas séries GI superiores ou VCUGs no equipamento fixo de radiologia de fluoroscopia, foram recrutados para avaliar a unidade de fluoroscopia portátil. O sistema radiográfico portátil modificado com um detector do tamanho de um cassete e um sistema de fluoroscopia instalado de sala foram utilizados sequencialmente no mesmo exame. Quatro radiologistas compararam a qualidade de 20 imagens de cada sistema utilizando a pontuação Radlex (1 a 4) para cinco atributos de qualidade de imagem. Foram coletadas taxas de dose de radiação para os sistemas portátil e fixo.

Na fase B, foram realizados estudos de fluoroscopia em cinco neonatos na UTI neonatal, que foram comparados a 20 estudos neonatais anteriores realizados no departamento. Foram avaliados o fluxo de trabalho clínico, a duração do exame, a duração da fluoroscopia, a dose de radiação dispersa e a dose de radiação administrada ao paciente.

Na fase A, as taxas de dose média para sistemas instalados em salas e portáteis foram equivalentes, (0,322 mGy/min e 0,320 mGy/min, respectivamente). As pontuações Radlex médias do leitor para sistemas instalados em salas e portáteis foram consideravelmente maiores do ponto de vista estatístico (P < 0,05) para todos os atributos no sistema portátil, exceto contraste da imagem.

Na fase B, a radiação dispersa, considerando-se a duração média da fluoroscopia (26 s), foi equivalente à radiação dispersa de 2,6 radiografias de tórax neonatais portáteis. A duração do procedimento e a qualidade do diagnóstico foram consideradas equivalentes. A taxa de dose média na UTI neonatal com o sistema portátil foi de 0,21 mGy/min em comparação com 0,29 mGy/min para o sistema instalado de sala.

Este estudo piloto sugere que a unidade de fluoroscopia portátil utiliza níveis de dose semelhantes aos de um sistema instalado de sala com risco mínimo para a equipe e para outros pacientes na UTI neonatal. Espero que este trabalho leve ao desenvolvimento de uma solução que, futuramente, permita o diagnóstico baseado em aquisição de imagens de fluoroscopia no leito, para que os pacientes em estado grave possam receber os cuidados de que precisam da maneira mais segura possível.

Sobre o autor: Mark C. Liszewski é médico e diretor da Divisão de Aquisição de Imagens Pediátricas do Hospital Infantil de Montefiore (Children’s Hospital at Montefiore, CHAM), diretor de Aquisição de Imagens Ambulatoriais de Montefiore, diretor associado do Programa de Residência em Radiologia Diagnóstica de Montefiore e professor associado de Radiologia e Pediatria do Albert Einstein College of Medicine. O Dr. Liszewski ingressou no Montefiore em 2015. Como radiologista pediátrico, o Dr. Liszewski trabalha com pediatras e especialistas em pediatria para prestar serviços de diagnóstico por aquisição de imagens centrados na família e em sintonia com as necessidades das crianças. Ele também possui experiência e conhecimento especializado sobre diagnóstico radiológico de quadros clínicos que afetam crianças.

Esse estudo também contou com os seguintes colaboradores: Jordana Gross, Alison Schonberger, Terry Levin, Einat Blumfield, Suhas Nafday e Benjamin Taragin.

Declarações: O Dr. Liszewski e o Dr. Taragin são membros do Conselho Consultivo de Assuntos Médicos da Carestream. O estudo foi financiado pela Carestream Health.

Leia o estudo completo em Springer Link; Liszewski, M.C., Richard, S., Gross, J.N. et al. Feasibility study of a novel portable digital radiography system modified for fluoroscopy in the neonatal intensive care unit. Pediatr Radiol (2021).



Saiba mais sobre:

POST A COMMENT

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.